2014 © Sistema 3 | Rua Barbosa Lima, 278 - Centro - (32) 3212-6496  - Juiz de Fora - MG

Como o mundo dos RPG’s online me ensinou inglês

February 20, 2018

Você se lembra do início da revolução da Internet, no já longínquo final da década de 90 e início dos anos 2000? Era um novo mundo que se abria diante dos olhos de uma população global cada vez mais interconectada.

 

Tal advento, obviamente, teve repercussões em diversas áreas do conhecimento e entretenimento. Enquanto gravadoras de discos e estúdios cinematográficos decretavam o apocalipse da indústria cultural por conta da pirataria, outro nicho da mesma indústria viu na internet e na interconectividade de seus usuários uma oportunidade de ouro. A Indústria dos videogames passaria por uma revolução.

 

Como surgiu?

 

A ideia de jogos de aventura nos quais o jogador assume uma personagem e, a partir da interpretação dos papéis, toma decisões e desenvolve características e habilidades que o ajudarão a completar suas missões, comumente chamados de Role-playing Games ou RPGs (algo como “jogos de interpretação de personagens” em tradução livre para o português) já vinha sendo trabalhada desde a década de 70, com diversos livros e materiais auxiliares desenvolvidos para os mesmos. E a indústria de videogames não demorou muito a criar suas próprias aventuras e títulos para o gênero.

 

E se esses jogadores pudessem não apenas interagir com o cenário da aventura criada pelos desenvolvedores, mas também interagissem entre si e criassem suas próprias aventuras? E assim, com a popularização da internet e uma velocidade de conexão minimamente aceitável, surgiram os primeiros MMORPGs (sigla para “Massively Multiplayer Online Role-playing Games) comercialmente viáveis, jogos de RPG online nos quais é possível dividir um mundo virtual com outros jogadores ao redor do globo.

 

Aprendendo inglês para “me virar” em um novo mundo.

 

Quando me encontrei, pela primeira vez, conectado a um servidor internacional de um MMORPG popular entre os adolescentes da época me vi compelido a realizar atividades que jamais havia realizado em minha vida off-line. Comprar e vender (sempre negociando), organizar alianças, planejar expedições e emboscadas, declarar guerras, encontrar interesses amorosos, ou simplesmente interagir socialmente. Porém, como se tratava de um servidor internacional e a gigantesca maioria dos jogadores provinham de países de língua inglesa, a língua oficial deste universo era o inglês.

 

Todos os nomes de itens, objetos, monstros, locais, mapas, magias, etc. estavam em inglês. E com um dicionário inglês-português ao lado (o Google Tradutor ainda não era uma realidade na época) e auxiliado pela imensa quantidade de estímulos visuais que um videogame oferece ia me virando e aprendendo aos poucos o significado das palavras que me cercavam naquele mundo.

 

Desta forma, fui desenvolvendo a minha própria maneira de usar aquelas palavras para me comunicar e, obviamente, estava longe das regras gramaticais da língua, mas conseguia passar minha mensagem e me divertir, e era isso que importava.

 

Alguns anos se passaram naqueles mundos fantásticos, onde fiz amigos que nunca conheci pessoalmente - às vezes nem mesmo sabia o verdadeiro nome -, mas com os quais passava madrugadas me aventurando por terras perigosas e desconhecidas, dividindo os espólios das batalhas, sempre com um inglês despreocupado, mas funcional. Era o “meu” inglês e era o inglês daquele mundo.

 

Melhorando meu inglês e obtendo melhores resultados

 

Não demorou muito para que eu sentisse a necessidade de me aprofundar e melhorar meu inglês para que conseguisse interagir com aquele mundo de uma forma mais profunda e imersiva. E quanto mais eu estudava a língua, melhores eram meus resultados nas aventuras. Consegui encontrar itens melhores e mais poderosos, realizar negócios mais lucrativos e formar alianças mais fortes, além de criar amizades cada vez mais duradouras.

 

Experimentei estudar em alguns cursos tradicionais. Certos métodos proibiam o uso da língua materna dentro de sala de aula, outros ofereciam atividades culturais típicas dos países de língua inglesa, algo que partia de uma ideia de “imersão” na língua, mas acredito que a minha ideia de imersão vinha de um lugar diferente, onde eu não era eu, e esse meu outro eu nem mesmo falava português. Estar imerso na língua era estar imerso em um mundo diferente, em uma personalidade diferente, e em contextos diferentes que não eram o da sala de aula.

 

Acabei desistindo dos cursos tradicionais e busquei a minha própria forma de aprender. Novos jogos, novas mídias, novos personagens... Foi um aprendizado longo, não nego, mas foi meu, e extremamente prazeroso.

 

Veja alguns jogos:

 

Tibia: Um MMORPG criado em 1997 pela CipSoft ainda em funcionamento. Tibia foi muito popular entre brasileiros no início dos anos 2000 dado aos seus baixos requerimentos de computação e conexão.

 

 

 

 

RuneScape: MMORPG lançado em 1998 pela Jagex (UK). Foi um dos mais populares MMORPGs no início da popularização da Internet, e hoje, ainda em atividade possui cerca de 250 milhões de contas criadas.

 

 

 

World of Warcraft (Blizzard Entertainment – 2004), é até hoje o MMORPG mais popular no mundo, chegou a ter 11 milhões de jogadores ativos em 2010, e em 2016 esse número ainda chegava a 5 milhões.

 

 

 

 

Naquela época, era difícil encontrar um curso de inglês que oferecesse esta experiência de imersão que eu estava procurando, e se você já estudou, ou conhece alguém que estudou no Sistema 3, já deve estar imaginando o porquê deste texto. Hoje, já como professor de inglês, tenho muito orgulho em ver nossos alunos aprendendo com um método completamente inovador em relação à ideia de imersão.

 

Um método baseado nos RPGs que eu tanto amo, no qual eles se aventuram ao interpretar o cotidiano de pessoas normais, que viajam, compram, discutem, amam, se divertem e falam inglês.

Eu sempre espero que esse tipo de experiência única e divertida seja determinante para transformar a ideia de aprender uma nova língua em algo leve, mas ao mesmo tempo desafiador e recompensador, assim como as minhas longínquas aventuras nos mundos de fantasia online.

Venha criar sua personagem e se aventurar com a gente!

 

Faça seu orçamento: https://goo.gl/NZTjLp

 

 

 

 

Davi Barreto

Professor de inglês

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

Posts Em Destaque

Bem-vindos ao blog S3!

January 24, 2017

1/1
Please reload

Posts Recentes
Please reload

Arquivo
Please reload

Siga
  • Facebook Basic Square
  • Twitter Basic Square
  • Google+ Basic Square